Do coração endurecido e insensível nasce a arrogância…

…A arrogância do seu coração o tem enganado, você que vive nas cavidades das rochas e constrói sua morada no alto dos montes; você que diz a si mesmo: ‘Quem pode me derrubar?’ Ainda que você suba tão alto como a águia e faça o seu ninho entre as estrelas, dali eu o derrubarei”, declara o Senhor… “ (Palavras escritas no livro do profeta Obadias).

 Se uma pessoa arrogante incomoda muita gente uma pessoa arrogante espiritualmente incomoda muito mais.

 Tenho cruzado com alguns corações arrogantes espiritualmente e orado para que esses corações se quebrantem que possam enxergar a verdadeira mensagem do evangelho de Cristo que é a tradução da Graça de Deus Pai.

A arrogância sempre nasce de um coração endurecido que se tornou insensível.

Corações ensoberbecidos espiritualmente sempre estão a buscar conhecimentos bíblicos tentando se tornar “expert” em Deus (rsrrrs) e saem por ai vomitando teologia (ciência da religião e das coisas divinas), misturada com uma verborragia (no popular: fala muito e diz nada) que ninguém entende acompanhada de “clichês evangelísticos” do tipo “Deus proverá” “Em nome de Jesus isso ou aquilo”! “somos mais que vencedores”! “posso tudo naquele que me fortalece!” e por ai vai… Versos retirados da verdade bíblica? Sim! Mas muito mal empregados, decorados e engatilhados na ponta da língua para serem disparados em todas as direções (e pobre daquele que estiver na mira).

Corações em arrogância espiritual, apesar de todo o conhecimento bíblico, tem pouca tolerância com aqueles que sabem menos do que eles e sempre se consideram donos da verdade sem conseguir enxergar que precisam descobrir a verdade a seu próprio respeito. E por esse e outros sentimentos e atitudes que a soberba espiritual traz, não conseguem manter um relacionamento sincero e saudável com as pessoas por julgarem que são melhores que elas, que seus esforços sempre são maiores que os dos outros em buscar as coisas espirituais.

Corações ensoberbecidos geralmente não compreendem a mensagem do evangelho, apesar de julgarem que conhecem e compreendem, porque para compreendê-la é necessário um encontro pessoal consigo mesmo e com Deus Pai.

As palavras de Paulo são perfeitas para ilustrar o acima exposto: “… _Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria…”

E parafraseando as palavras dele: ““…_ainda que eu tivesse todo o conhecimento bíblico, que tivesse todos os versos decorados, que cumprisse religiosamente toda a Lei, se não tivesse amor nada disso me aproveitaria… Se não consigo enxerga e ouvir o outro!

Quando nos achamos santos demais, sofredores demais por crucificar a nossa natureza humana pela causa do evangelho e detentores de todo o conhecimento bíblico e cumpridores de regras religiosas, nosso pensamento se torna rígido, e nossa mente se fecha para o novo e vivo caminho. E assim nos afastamos de Jesus e dos odres novos que Ele nos oferece para renovação da nossa vida e mente. A arrogância espiritual somente contribui para que continuemos carregando nosso pobre e azedo vinho velho de doutrinas e religiosidade em odres mais velhos ainda nos aproximando mais das atitudes farisaicas que tanto irritavam Jesus.

A arrogância espiritual vai enfraquecendo o amor pelo próximo, ela nos faz crer que somos melhores do que todo mundo.

A arrogância espiritual nos faz crer que somos melhores do que realmente somos e faz esquecer que servir a Deus Pai é servir as pessoas.

A arrogância espiritual faz que nos esqueçamos de amar as pessoas como se não houvesse amanhã, como Ele amou e ama.

A arrogância espiritual nos faz esquecer que essa atitude precede a ruína e a altivez do espírito precede a queda, como nos ensina os provérbios sábios de Salomão.

Cuidemos e guardemos a nossa mente para que não caiamos nas armadilhas de um coração arrogante e insensível às dificuldades e necessidades dos outros.

Vou encerrando aqui com as palavras de Carl Jung…

“_Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana“.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s